shutterstock_1348347071

Planejamento de Marketing: da estratégia à execução

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

O marketing e a estrutura de negócios como nós conhecemos hoje são novos, recentes. Mudam as mídias, as pessoas, os hábitos de consumo e com eles a forma de fazer comunicação e construir relacionamentos.

O termo estratégia remonta ao grego, “strategía”, significando, inicialmente, “a arte do general” que, na conotação voltada para a guerra, pode ser definido como um caminho a ser percorrido. Nos espaços organizacionais, conduzir um exército por uma trajetória não difere muito em conceito da condução de diversos profissionais em direção a um mesmo objetivo, estabelecendo metas e maneiras de aferir resultados.

Muito além do que construir estratégias criativas e que detalhem ações para atingir determinados objetivos, o planejamento deve ser possível. Citando o ditado popular “o papel aceita tudo”, no marketing e na comunicação, os direcionamentos não podem ficar só no âmbito das ideias. Eles precisam ser executáveis e contribuir para a construção de resultados.

Seguindo como base a metodologia SMART, que em inglês é um adjetivo que significa “esperto” ou “inteligente”, o conceito é um acrônimo que orienta a construção de uma meta. Detalhando o significado de cada letra, temos:

S — Specific (específico): para que todos os envolvidos compreendam a meta estipulada, ela deve ser clara, objetiva e não abrir margem para interpretações.

M — Measurable (mensurável): todas as metas estabelecidas devem critérios específicos que possam ser verificados, aferindo seu progresso no alcance dos objetivos.

A — Attainable (atingível): metas impossíveis tornam a estratégia incompleta, além de desmotivar a equipe. Com base em dados, o planejamento deve direcionar os esforços para resultados que possam ser conquistados.

R — Relevant (relevante): realizar ações com resultados relevantes motiva a equipe na execução das estratégias. Desde que mensuráveis e alcançáveis, devemos promover impactos perceptíveis no negócio e na comunicação.

T — Time based (temporal): o último item é de extrema importância no planejamento de marketing. Afinal, uma meta sem prazo pode ser atingida em um dia, um mês ou um ano. A linha do tempo deve ter um início e um fim, criando um senso de urgência na equipe.

Toda estratégia nasce da necessidade de encontrar uma resolução. Não apenas apontando caminhos, mas compreendendo contextos, determinando personas, gerenciando conteúdos e analisando dados. Além disso, é necessário entender que obstáculos podem surgir, mas se o planejamento segue uma estrutura inteligente, estará pronto para contornar as adversidades.

Na Atua, o planejamento tem a função de unir os times e direcioná-los por um mesmo caminho para conquistar os melhores resultados para nossos clientes. Na nossa “arte do general”, nossa batalha é por resultados. Juntos, a gente faz ideia, da estratégia à execução.

Tem
Talento?

Mostra
pra gente!

Vamos

Trocar
ideia?